quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

"Iêmen"




Iêmen

Iêmen fechando as portas para o terrorismo
O governo dos Estados Unidos fez uma lista de países árabes, incluindo o Iêmen, que devem ser fiscalizados com maior rigidez, na tentativa de aumentar a segurança nos aeroportos. O objetivo é criar uma barreira contra ataques terroristas

Localização: sul da Arábia Saudita e oeste de Omã.
Capital: Sanaa.
Idioma: árabe (oficial).
Religião: 99% Islamismo, 0,9%; outras religiões, 0,1% sem religião.

Iêmen e seu contexto espiritual:
Iêmen é o mais pobre dos países árabes, cerca de 40% de sua população vive abaixo da linha de pobreza. A pequena elite, fortemente caracterizada pelos heróis de guerra, hoje líderes políticos, mantém o serviço militar obrigatório e as bases militares espalhadas pelo campo. O
Islamismo é a religião oficial do país e a região norte, mais conservadora, deseja a implantação radical da sharia (lei islâmica). Já a região sul mantém uma posição mais moderada. Pelo fato de praticamente toda população ser mulçumana, é proibido que ela se converta ou retorne ao Cristianismo que foi experimentado quando a nação estava sob o domínio do Império Otomano, aproximadamente no século IX. O governo proíbe as pessoas que não são muçulmanas de evangelizar. Sobre a forma como é aplicada o Islamismo no país, a conversão de um muçulmano para outra religião é considerada crime, punível com morte. Por isso, existe um registro pequeno de iemenitas convertidos e a maioria dos cristãos é estrangeira, já que a perseguição aos cristãos no território iemenita é acirrada.

Outro fator importante para a conversão de estrangeiros é a existência de grandes oportunidades para servirem ao Senhor nos negócios, na educação, na saúde e nos planos de desenvolvimento da nação. O problema é que a corrupção, a extorsão, as leis ultrapassadas e a deficitária infra-estrutura acabam com os recursos e com a motivação dos líderes de outros países. Apesar da região já ter sido citada até no Antigo Testamento ela é a menos evangelizada do mundo. Além dessa perspectiva de perseguição e de limitada evangelização, o Iêmen foi profundamente impactado pelas guerras durante as últimas décadas. Tanto as guerras civis como também os conflitos com países vizinhos, são responsáveis pela disseminação da violência e do terrorismo. Os iemenitas têm o direito de possuir armas, o que incentiva a rivalidade entre as tribos, os crimes e as sabotagens, tidos como formas de protestos.

O Iêmen foi destaque nessa semana
o conflito liderado pelos EUA contra militantes islâmicos após uma ala da organização terrorista Al-Qaeda no Iêmen ser suspeita da autoria de um atentado à bomba fracassado, contra um avião que ia de Amsterdã, na Holanda, à cidade de Detroid, nos Estados Unidos, no último dia
25/12. O nigeriano Umar Farouk (Abdulmutallab), que segundo as autoridades do Iêmen, foi treinado pela Al-Qaeda que possui base no país, foi acusado de ser o autor do crime. As autoridades do Iêmen promoveram uma operação para caçar os militantes que, segundo o
próprio governo, seriam responsáveis pelas ameaças contra as embaixadas ocidentais no território durante essa semana.O conflito gerou mortes e levou os Estados Unidos a tomarem
precauções extremas de proteção. O país é destaque no Atos Hoje desta edição para que as orações se intensifiquem em prol da paz de um povo que deseja combater uma Al-Qaeda ressurgente. Por essa razão, aumentou a preocupação com o braço da rede terrorista, e, os Estados Unidos e outros países anunciaram o fechamento das embaixadas no país. O medo que se instaurou nos Estados Unidos resultou, além do fechamento da embaixada, em medidas de
segurança ainda mais firmes nos aeroportos norte-americanos, para impedir que terroristas infiltrem no país. Até o fechamento desta edição do jornal Atos Hoje a embaixada americana já havia sido reaberta, mas cerca de 50 militantes da Al-Qaeda já haviam morrido em ataques iemenitas nos últimos dias.

A Al-Qaeda é um grupo terrorista que sustenta o confronto e a discórdia no mundo, contudo todos carecem da misericórdia e salvação de Deus. Oremos pelo Iemenitas, para que a paz tome conta de seus corações e gere transformação na vida de cada cidadão. Que o país seja
disseminador do amor de Deus e não da violência.

Iêmen é o alvo das nossas orações, oremos:
Para que as pessoas conheçam Jesus Cristo e o Cristianismo ganhe mais espaço no país.

Para que as lideranças políticas fundamentem leis que favoreçam a liberdade religiosa e permitam a evangelização cristã.

Pelas rádios cristãs que são a principal forma de evangelização usada na região e ainda para que novos meios sejam utilizados e eficientemente mantidos para promover o relacionamento cristão.

Pelos cristãos que trabalham no país e testemunham a vida de Cristo mesmo que de maneira discreta.

Para que os conflitos violentos contra os membros da Al-Qaeda e a cegueira espiritual dos grupos terroristas tenham fim, e que eles se prostrem diante do Senhor arrependidos.

Para que o governo dirija a nação com justiça, criando unidade nacional e paz.

Fonte: Obra Intercessão Mundial (Patrick Johnstone e Jason Mandrik, Ed. Horizontes América Latina). Adaptação: Redação Atos Hoje

O Sudeste do Brasil e as chuvas:
As chuvas se intensificaram ainda mais na região, desde o dia 31 de dezembro do ano passado. Até o fechamento desta edição do jornal Atos Hoje já havia sido registrado 87 mortes no total, causadas pelas tempestades. Só em Angra dos Reis, no estado do Rio de Janeiro, 52 pessoas morreram por causa de dois grandes deslizamentos de terra ocorridos na madrugada do primeiro dia do novo ano. Ao todo já somam 74 mortos por deslizamento no estado, e pelo menos outras dez em São Paulo e mais três em Minas Gerais. Oremos, pois, pela região Sudeste para que as famílias sejam restabelecidas em suas casas, para que as chuvas sejam
mais brandas e pelos familiares das vítimas, para que sejam fortalecidos.
Deus abençoe!!!
Paz do Senhor Jesus!!!

Um comentário: