domingo, 4 de abril de 2010


O verdadeiro significado da Páscoa

É sempre a mesma coisa. Milhares e milhares de toneladas de chocolate. Sábado, à tarde, e até mesmo no próprio domingo é aquela correria. Compra-se de tudo. Até ovos amassados. O Brasil, o maior país católico do mundo, onde graças a Deus essa história já está mudando, pois é um dos países onde o cristianismo mais cresce, ano após ano, bate o recorde no consumo de ovos de páscoa. Qual o verdadeiro significado da Páscoa? Será que nossas crianças sabem o verdadeiro significado? Será que nós sabemos o que significa a Páscoa?


A palavra Páscoa do hebraico é Pessach que significa passagem ou até mesmo que significa passar por cima – no sentido de relevar, pular além da marca ou passar sobre.

A primeira aparição desta palavra está ligada à saída do povo judeu do Egito.
Os eventos da Páscoa teriam ocorrido durante o Pessach, data em que s judeus comemoram a libertação e fuga de seu povo escravizado no Egito.
Quando Deus ordenou ao anjo destruidor que eliminasse todo o primogênito da terra do Egito, a casa que tivesse o sinal do sangue do cordeiro não seria visitada pela morte (Êxodo 12:1-36). Então, os Judeus passaram a celebrar a páscoa, em comemoração à saída do Egito, a passagem para a liberdade. Todos os primogênitos egípcios morreram. Os hebreus foram preservados pela obediência e pela observância da ordem: Aspergir o sangue.

É necessário restaurarmos o verdadeiro significado da Páscoa e da Ceia do Senhor. Historicamente, vemos que os reis Ezequias (2Crônicas 30) e Josias (2Reis 23:21-23), restauraram em seus reinados a celebração da Páscoa, Deus se agradou e abençoou o povo. É preciso resgatar os verdadeiros significados da Páscoa e da Santa Ceia do Senhor.

A partir de Jesus Cristo, essa celebração foi substituída pela Ceia do Senhor, com o pão e o vinho, em Sua memória. Não mais para relembrarmos a saída do Egito (estado), mas para sempre nos lembrarmos da saída do egito do pecado, e da liberdade que há na sua morte e ressurreição.

Hoje após a morte e ressurreição de Jesus, Ele se tornou a nossa Páscoa. 1Coríntios 5:7: “Expurgai o fermento velho, para que sejais nova massa, assim como sois sem fermento. Porque Cristo, nossa páscoa, já foi sacrificado”.
Além da forma pagã de comemoração da páscoa e da Santa Ceia (com coelhos de pelúcia, ovos de chocolate), há a forma católico-romana que admite que na consagração da missa, o pão e o vinho da Ceia do Senhor se transformam realmente no corpo físico de Cristo. A isto se chama transubstanciação. Tal teoria é teologicamente infundada, e só pode persistir o nde a tradição e os dogmas são superiores à palavra. Assim como Jesus Cristo disse ser a porta, e nem por isso ele se transformou em uma porta de peroba ou ferro (videira, o pão, o caminho), também o pão e o vinho não se transformaram em carne e sangue. Como os judeus, com as suas rigorosas leis dietéticas comeriam carne e beberiam sangue humano? Ser cristão seria transformar-se em antropófagos? Muitos sãos os exemplos que poderíamos citar para combater essa teoria católica.
Precisamos resgatar esses valores. Onde está o Cristo crucificado? Não se trata de santificar ou idolatrar a data no calendário, trata-se de recordarmos de onde éramos e o que Deus nos fez para nos tirar de lá. Devemos santificar essa data em nosso coração. Essa lembrança, contudo, não pode se restringir aos dias de Santa Ceia (ou na semana santa), ou uma vez por ano. Não. Esse sentimento deve estar diariamente em nosso coração.
A Ceia do Senhor, é um cerimonial instituído por Jesus Cristo (Paulo diz: “Porque eu recebi do Senhor o que também vos entregue...”), e sua preocupação com a preparação, demonstra a importância dessa celebração solene. Marcos 15:13-16: “Enviou, pois, dois dos seus discípulos, e disse-lhes: Ide à cidade, e vos sairá ao encontro um homem levando um cântaro de água; seguí-o; e, onde ele entrar, dizei ao dono da casa: O Mestre manda perguntar: onde está o meu aposento em que hei de comer a páscoa com os meus discípulos? E ele vos mostrará um grande cenáculo mobiliado e pronto; aí fazei-nos os preparativos. Partindo, pois, os discípulos, foram à cidade, onde acharam tudo como ele lhes dissera, e prepararam a páscoa”.
Jesus poderia simplesmente dizer: Vamos comer de qualquer jeito. Vamos comer em qualquer lugar. Ali embaixo da árvore mesmo, ou, na casa de alguém de vocês. Não. Jesus Cristo desejou algo especial, um aposento especial, para uma ocasião especial. A pessoa que cedeu o lugar foi alguém escolhida especialmente para esse serviço.

É como se Jesus perguntasse: “Onde está o aposento? Onde está o lugar no teu coração para que Eu tenha comunhão com você? Onde?”. Deus através de Jesus Cristo quer ter intimidade conosco. Ali naquela sala, somente estavam os homens escolhidos por Jesus. Existe um lugar em seu coração para ele?

Que nos venhamos realmente colocar em nossos corações o real significado da Páscoa, e que não seja apenas nesta data mais que todos os dias nos venhamos a lembra da importância da ressurreição de Cristo Jesus.

Deus abençoe!
Paz do Senhor Jesus!

Um comentário:

  1. O Lá Daniela tudo na paz.passando para uma visitinha.
    obrigado pelo texto.

    ResponderExcluir